Metodologias Ativas: como recuperar 200 anos!

Metodologias Ativas: como recuperar 200 anos!

Podemos comparar o ofício do professor ao do jardineiro, que deve providenciar as melhores condições externas para que as plantas sigam seu desenvolvimento natural, já que a semente traz em si o “projeto” da árvore toda.

O professor, portanto, deve ter o papel de mediador e o aprendizado, em grande parte, acaba sendo conduzido pelo próprio aluno com base na experimentação prática e na vivência intelectual, sensorial e emocional do conhecimento.

Essas são ideias originais de Pestalozzi e que podem muito bem ser utilizadas como fonte e princípio para as metodologias ativas. Além de Pestalozzi, seu discípulo Froebel e também John Dewey servem como base para as Metodologias Ativas.

Acontece que todos esses pensadores são do século XIX. Muito em breve, em 2027, fará 200 anos que Pestalozzi faleceu. Ficou impressionado? Pasmado?

É impressionante mesmo! Duzentos anos se passaram para que a acadêmica despertasse para o que agora chamamos de Metodologia Ativa.

Independentemente disso, o que importa é que possuímos grandes subsídios teóricos para a implementação dessas metodologias e elas trarão enormes ganhos para o processo ensino aprendizagem na sua Instituição de Ensino.

 

Quer saber como as Metodologias Ativas podem ajudar a sua IE a se destacar dentre as outras no processo de ensino e de aprendizagem? Continue conosco e fique por dentro do assunto!

O que são metodologias ativas?

Metodologias Ativas são fundamentadas na concepção pedagógica crítico-reflexiva, utilizando contextos atuais e reais, de forma a estimular a interação entre os diversos atores (professor, aluno, pares e grupos), valorizando a construção coletiva do conhecimento em seus diferentes saberes e cenários de aprendizagem.

Os conceitos estabelecidos por Paulo Freire também dão fundamento às Metodologias Ativas. Ele afirmava, por exemplo, que na educação, o que impulsiona a aprendizagem é a superação de desafios, a resolução de problemas e a construção do conhecimento novo a partir de conhecimentos e experiências prévias dos indivíduos. O que está em total concordância com os fundamentos das Metodologias Ativas.

As Metodologias Ativas dão protagonismo ao estudante. Possuem o objetivo de preparar o aluno para ser mais autônomo, ou seja, para que ele participe ativamente do processo de construção de seu próprio conhecimento. Em vez de apenas se sentar, ouvir e reproduzir os conceitos que lhe foram passados, o aluno torna-se membro ativo da aprendizagem.

Do mesmo modo, o papel do professor também sofre mudanças: de detentor do saber, ele passa a ser um mediador, um incentivador, ao conduzir a aprendizagem por meio de métodos (aula expositiva, seminários, trabalhos em grupo, etc.) e estratégias que impulsionam o aluno a colaborar de modo efetivo nas aulas.

A título de exemplo, podemos citar as seguintes metodologias ativas:

Justificativa para a implantação de Metodologias Ativas

Atualmente, apenas a utilização de conteúdos previamente elaborados ou  a utilização de novos recursos tecnológicos durante as aulas não altera o cenário de insatisfação coletiva relatado por docentes e estudantes; posto que, sozinha, a tecnologia não garante aprendizagem e um conteúdo engessado não motiva os alunos.

Todos esses recursos são extremamente importantes, porém é necessário incluir no processo de ensino e de aprendizagem atividades mais dinâmicas, desafiadoras, que motivem o aluno na busca do conhecimento e faça-os se sentirem parte do processo.

As Metodologias Ativas correspondem às mudanças que o ensino (infantil, fundamental, médio e superior) vem exigindo recentemente. Seu papel está em modificar o processo de aprendizagem, fazendo com que aluno e professor construam juntos o conhecimento.

Essas metodologias são revolucionárias porque promovem uma aprendizagem que é realizada de forma ativa, coletiva e colaborativa, utilizando diversos recursos e contribuindo para o aumento da qualidade do ensino, com professores mais articuladores e, claro, para a formação de alunos mais críticos, participantes e conscientes.

Princípios práticos das Metodologias Ativas

As metodologias ativas de ensino e de aprendizagem são pautadas nos princípios práticos descritos a seguir.

Aluno

O aluno está no centro do processo de aprendizagem. Ele deixa de ser um mero expectador dos conteúdos apresentados e passa a assumir a responsabilidade pela construção do próprio conhecimento, com participação mais efetiva na sala de aula.

Autonomia

O estudante passa a assumir uma postura ativa, com atitude crítica, construtiva e com liberdade para tomada de decisão, tornando-o um cidadão e um profissional com autonomia para aprender e fazer avaliações críticas do mundo que o cerca.

Reflexão

A construção de situações reais e atuais levam o aluno a refletir sobre um determinado problema, ouvindo, observando, perguntando, comparando e discutindo, a fim de identificar soluções hipotéticas para os problemas propostos.

Problematização da realidade

Analisar a realidade como forma de tomar consciência dela instiga o desejo de aprender do estudante, fazendo com que ele possa enxergar as possibilidades reais de aplicação prática do conteúdo aprendido.

Trabalho em equipe

Favorecer a interação constante entre os estudantes e o professor, a partir de momentos de exposição de idéias e discussão sobre os diferentes pontos de vista, contribui para o compartilhamento do conhecimento entre todos.

Inovação

Introduzir novidades, renovar ou criar novas formas de abordagem e transmissão de conteúdo, transcendendo a abordagem tradicional de ensino, utilizando ou não a tecnologia, são formas de inovação utilizadas nas metodologias ativas.

Professor

O professor deixa de ser aquele que detém todo o conhecimento a ser distribuído e passa a exercer o papel de mediador, facilitador, curador e orientador, estimulando, valorizando e inspirando os estudantes no processo de construção do conhecimento coletivo e individual.

Dicas de quem já passou pelo processo de implementação

Para causar o efeito desejado, é necessário que os participantes do processo de implantação de uma Metodologia Ativa compreendam completamente o que está sendo proposto, acreditem no potencial pedagógico da metodologia e estejam disponíveis intelectual e afetivamente, valorizando o trabalho que será realizado.

Muitas são as condições do professor, dos alunos e do cotidiano escolar que podem dificultar ou impedir a implantação de uma metodologia ativa. Um trabalho de conscientização deve ser realizado junto à comunidade acadêmica objetivando diminuir a estranheza e a resistência por parte de alunos, pais ou responsáveis.

Os professores, por sua vez, devem estar capacitados e qualificados a desenvolverem seu novo papel. Por se tratar de uma mudança do papel tradicional do professor, ele deve estar receptivo a críticas e sugestões, visto que uma nova realidade estará sendo apresentada para toda a instituição.

É possível que, de início, e de acordo com os padrões da Instituição de Ensino, não seja possível implantar Metodologias Ativas em sua totalidade, porém a implantação sempre pode ser realizada gradativamente se o professor puder contar com o apoio tanto da IE quanto de alunos, pais e responsáveis.

Independentemente da Metodologia Ativa a ser implantada, deve haver o domínio de seus fundamentos por parte do professor e toda a infraestrutura da IE deve estar preparada para oferecer o suporte necessário ao professor.

Falando em infraestrutura, o ambiente físico da IE deve ser pensado dentro desta concepção mais ativa e centrada no aluno. É desejável, mas não obrigatório, que as salas de aula sejam multifuncionais, comportando tanto atividades em grupo quanto individuais ou de plenário. Também é desejável, mas não imprescindível, que seja disponibilizada conexão com a internet, inclusive para dispositivos móveis. Também é importante que, dependendo do conteúdo a ser estudado, os alunos e professores possam contar com espaços abertos em que o lazer e os estudos consigam estar mais integrados.

 

As Metodologias Ativas como diferencial para a IE

De acordo com estudos realizados pelo National Training Laboratories (Bethel, Maine), a metodologia passiva permite que os alunos atinjam um nível de até 50% de aproveitamento no aprendizado, enquanto a metodologia ativa se destaca aumentando em até 90% o aproveitamento do aluno.

As Instituições de Ensino que apostarem em metodologias ativas de ensino e aprendizagem estarão agregando um valor estratégico aos seus negócios e consequentemente à capacitação de seus alunos, preparando-os não só para atingirem um bom desempenho nas avaliações, mas também para serem excelentes profissionais no futuro.

 

Quais suas impressões sobre as metodologias ativas? Já existe alguma implantada na sua IE? Compartilhe conosco seu ponto de vista, deixando um comentário aqui no post!

3 thoughts on “Metodologias Ativas: como recuperar 200 anos!

  1. Argemiro Severiano says:

    Ainda não existe este tipo de metodologia na minha IEs, no entanto, julgo ser de extrema importante envidar esforços para fazer a sua implantação gradual.

  2. Lucimeire Ferreira says:

    Boa tarde!
    Quero implantar a proposta de Metodologias Ativas na minha escola.
    Muito boa a reflexão! Gostaria de receber e conhecer mais sobre o assunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *