Tendências de tecnologia para Instituições de Ensino

As principais tendências de tecnologia para Instituições de Ensino

A tecnologia já faz parte da educação do brasileiro. Isso é facilmente constatado por um balanço recente feito pela aprenda.online, uma iniciativa da Fundação Lemann. Hoje, nada menos que 12 milhões de pessoas utilizam a tecnologia, das mais diversas maneiras, para aprender. Esse número serve para atestar que a resistência à combinação entre educação e tecnologia vem sendo rompida pouco a pouco. Por isso as principais tendências de tecnologia devem ser consideradas no planejamento das IEs.

Quantas vezes, os profissionais da área de Educação já não ouviram dizer que, no futuro, robôs substituiriam professores em sala de aula? Se entendermos que “robô” era utilizado como metáfora, e considerarmos, por exemplo, a modalidade de ensino a distância mediada por computação cognitiva, o futuro já chegou.

A tecnologia está presente na Educação em vários formatos: softwares que entendem o comportamento do aluno e sugerem componentes de aprendizagem; aplicativos acessados por smartphones ou tablets; videoaulas que podem ser vistas em qualquer lugar; jogos que escondem métodos de ensino e engajam os alunos; e outros diversos softwares educacionais.

Veremos a seguir, uma série de inovações que vêm sendo introduzidas na educação, como facilidades que podem potencializar o aprendizado dos alunos, facilitar o trabalho dos professores e criar atalhos para o acesso ao conhecimento. Abordaremos as principais tendências tecnológicas e mostraremos a importância da tecnologia para o sucesso e desenvolvimento de todas as áreas de uma Instituição de Ensino.

Confira neste post as principais tecnologias que você deve conhecer para aumentar ainda mais os resultados da sua IE proporcionando benefícios para professores, alunos e para a instituição de modo geral.

Tendências de tecnologia para a gestão da IE

Business Analytics

O Business Analytics possibilita e facilita a gestão utilizando Indicadores de Desempenho. Ele avança nas questões de análise preditiva por meio de algoritmos de aprendizagem de máquina, permitindo a descoberta de conhecimento ofuscado pela grande quantidade de informações geradas no dia-a-dia.

É possível, por exemplo, que utilizando-se de algoritmos de descoberta de conhecimento aplicados aos questionários socioeconômicos dos alunos, somados a dados de desempenho acadêmico, frequência, inadimplência, turno e curso, seja determinado o comportamento do aluno que evade. Esse conhecimento descoberto pode ser aplicado em análises preditivas de alta precisão para que medidas preventivas possam ser tomadas antes que a decisão de evasão ocorra.

A única ferramenta do mercado de Educação que possui essas características é o BA2Edu. Como o próprio nome leva a concluir, trata-se de uma ferramenta de Business Analytics voltada para a área de Educação e que reúne as famosas ferramentas de dashboard, monitoramento por Indicadores de Desempenho, proatividade e computação cognitiva em uma única plataforma, especializada em Educação e pronta para usar.

Portais com dashboard

Neste ponto entra o conceito de gestores da Instituição de Ensino e, quando dizemos gestores, não estamos nos referindo apenas ao CEO ou diretor, mas também aos coordenadores e professores, pois eles, idealmente, também devem assumir papel de gestores.

O coordenador pode contar com Portais Acadêmicos que disponibilizam dashboards específicos que o auxiliam na coordenação dos cursos e turmas. Já o  professor deve contar com indicadores de desempenho das disciplinas sob sua responsabilidade. O próprio aluno pode fazer a gestão de sua vida escolar, acompanhando seus compromissos acadêmicos, desempenho e frequência, analisando se seu desempenho está satisfatório ou se ele precisa se esforçar mais para concluir o curso.

Todas as áreas se integram com os gráficos e dados estatísticos disponibilizados nos dashboards e toda a comunidade acadêmica pode contribuir para o sucesso da IE compartilhando da gestão na área de sua responsabilidade.

Computação e sistemas em nuvem

A computação em nuvem está presente na vida de milhões de pessoas que usam a internet diariamente. E, seja para armazenar fotos, e-mails ou outros dados de qualquer computador, essa tecnologia também pode trazer benefícios para alunos e professores.

Em vez de carregar apostilas, cadernos e livros para todo canto, cada vez mais pessoas têm utilizado o armazenamento de livros, textos, videoaulas, gravações em vídeo e áudio, infográficos, bancos de questões e outros formatos na nuvem para acessar o conteúdo de qualquer lugar e a qualquer hora. Além de facilitar o acesso esse tipo de armazenamento é uma maneira de incentivar o compartilhamento de conteúdo entre docentes e alunos.

Não só os itens considerados material didático são armazenados em nuvem. Também existem sistemas completos de gestão acadêmica e corporativa que são acessados diretamente na nuvem, isso garante que de qualquer lugar o gestor possa ter acesso às informações importantes da Instituição de Ensino e possa tomar decisões e administrar o negócio de onde ele estiver. Além da praticidade de ter acesso irrestrito aos dados da instituição de qualquer lugar, o investimento em um software de gestão hospedado na nuvem proporciona uma grande redução de custo de infraestrutura para a IE.

ERP Especializado

Imagine poder gerir todos os setores de sua Instituição de Ensino por meio de um único sistema. Os sistemas de informação conhecidos como ERP (Enterprise Resource Planning) permitem aos gestores de Instituições de Ensino ter uma visão completa e totalmente integrada do negócio, mesmo que os profissionais cuidem de várias unidades de ensino.

Os ERPs possibilitam aumento da eficiência operacional, redução de tempo e custos ao mesmo tempo em que ajudam na melhoria dos serviços e produtos oferecidos aos clientes. Porém, um ERP genérico, que se propõe a atender tanto uma indústria, quanto o agronegócio, tem uma chance muito menor de sucesso de atender bem a área de Educação. Sendo assim, sempre que possível, é recomendado avaliar empresas que possuem ERP especializado.

No mercado existem alguns ERPs especializados em Educação. Porém, pouquíssimos são especializados, completos e totalmente web, como o ORION. Ele foi concebido por um ex-mantenedor de Instituição de Ensino e desenvolvido como solução de gestão para IEs de todos os níveis e modalidades de ensino e com suporte a todos os níveis do negócio, seja ele operacional, gerencial ou estratégico. Seu objetivo é promover o diferencial competitivo da Instituição de Ensino (IE) com estratégias de custo, diferenciação e inovação.

Tendências de tecnologia para a área pedagógica

Adaptive Learning

Adaptive Learning ou, em português, Aprendizagem Adaptativa, ou ainda Aprendizagem Personalizada, é uma das áreas mais promissoras de Tecnologia da Informação aplicada à Educação.  Mais especificamente, trata da aplicação de algoritmos de computação cognitiva ao Ensino.

O software de Aprendizagem Personalizada é capaz de propor atividades diferentes para cada aluno, de acordo com seu perfil previamente mapeado. Por meio da coleta e monitoramento das informações de desempenho do estudante em cada tipo de atividade, o software vai propondo trilhas de aprendizagem cada vez mais personalizadas, com técnicas, meios e conteúdos escolhidos sob medida.

Hoje em dia, os algoritmos ligados a Aprendizagem Personalizada se encontram muito mais no campo da pesquisa, como o que vem ocorrendo, por exemplo, na USP de São Carlos, e em alguns projetos e protótipos de empresas privadas especializadas em educação, tal como a TNT.

Realidade Virtual e Aumentada

Há pouco mais de um ano, o conceito de realidade virtual ganhou lugar de destaque na mídia, nas discussões acadêmicas e, principalmente, na mente dos jovens. No contexto atual de desenvolvimento tecnológico, não basta mais estar conectado a uma rede de computadores e às redes sociais; é preciso interagir com o mundo virtual.

A realidade virtual permite que as pessoas ultrapassem os limites do mundo real e façam experiências quase físicas com outros lugares e dimensões. Levando o tema para o universo educacional, é como se os alunos saíssem do campo teórico e experimentassem, de forma imersiva, os contextos culturais e conhecimentos discutidos. Pense como seria bem mais prazeroso para os alunos se eles pudessem visualizar em 360° as ruínas de Machu Picchu, as pirâmides do Egito, o clima, o solo e as paisagens dos países do oriente, como se lá estivessem?

A realidade aumentada, que permite misturar imagens criadas pelo computador com o que vemos no mundo real, está cada vez mais presente na vida dos alunos. Um exemplo da utilização desta tecnologia é por meio de jogos, como o Pokemom Go, que ilustra bem este tipo de realidade. No contexto acadêmico o aluno já pode visualizar imagens tridimensionais ao lerem livros ou assistirem vídeos educativos e interagir com elas.

Gamification

Chega a impressionar o tempo que os jovens de hoje conseguem ficar jogando em computadores e videogames. Agora pense: e se as IEs conseguissem canalizar toda essa energia e concentração para atividades de aprendizado? Não seria perfeito? Pois bem, essa realidade já existe, é a gamificação.

Trata-se de usar os mecanismos e conceitos do mundo dos jogos para fazer as atividades educacionais mais prazerosas e atrativas para os alunos. Os conteúdos das disciplinas são adaptados para funcionarem como atividades competitivas, como passar fases, derrotar adversários e vencer desafios. Isso faz com que o processo de ensino/aprendizagem se aproxime da realidade dos jovens de hoje.

Pode parecer estranho, mas jogos têm tudo a ver com educação — especialmente quando estamos falando de alunos que cresceram na era digital, com acesso aos mais variados aparelhos e, é claro, à internet.

De fato, pesquisas recentes já mostram que esses alunos tendem a se desconcentrar e perder interesse mais rápido quando estão em sala de aula. Em compensação, eles gostam de interatividade, e é aí que entram os jogos educativos, ou melhor, os seus fundamentos.

Gamification não é misturar jogos com a educação, mas sim fazer uso dos seus atributos para ensinar. Podemos citar os seguintes atributos:

  • reconhecimento e recompensa;
  • aumento gradativo da complexidade;
  • ranqueamento;
  • relação interpessoal;
  • trabalho em equipe; e
  • tentativa e erro.

Ensino híbrido

À medida em que o acesso à internet se tornou mais popular em todo o mundo, o ensino híbrido também foi se popularizando. Basicamente, o método consiste em mesclar as melhores experiências de ensino nos ambientes online e offline.

No ambiente online, o aprendizado é individual e o aluno pode lançar mão de diversas ferramentas, disponibilizadas graças à internet, para ter acesso a mais fontes de conhecimento. Desse modo, o estudante controla o tempo, os métodos, o ritmo e o local do estudo.

Já no ambiente offline, o aprendizado é coletivo e dentro de sala de aula. O aluno tem contato com um grupo de colegas ou com toda a classe, e o essencial é a valorização do aprendizado nas relações interpessoais.

Para o ensino híbrido, o objetivo é complementar e conectar esses diferentes métodos de ensino, para conseguir extrair todas as vantagens de cada um deles.

Videoaulas

As videoaulas revolucionaram o método de ensino no século XXI, e ainda hoje são importantes aliadas das Instituições de Ensino.

Os professores podem produzir o próprio material (ou indicar materiais de outros docentes) para complementar o conteúdo ensinado em sala de aula. Dessa forma, os alunos têm acesso a outras ferramentas que não somente as apostilas e livros didáticos e podem fixar melhor o conteúdo das matérias.

Uma outra finalidade para as videoaulas é a sua aplicação a distância para reforços. Por exemplo, disciplinas específicas que costumam apresentar maiores índices de reprovação de alunos, podem ganhar gravações dos professores com dicas e informações relevantes para que os estudantes possam estudar de casa.

Nesse sentido, a oferta de videoaulas tem crescido tanto que novos canais e meios de disseminar este importante recurso vêm surgindo. Por exemplo, o Youtube criou um canal específico para centralizar perfis de diversas IEs e professores que produzem conteúdo e disponibilizam na plataforma.

MOOCs

MOOC é a sigla em inglês para Curso Online, Aberto e Massivo, que veio com o objetivo de democratizar o acesso à educação de qualidade em todo mundo. As maiores universidades do mundo — entre elas MIT, Harvard e Stanford — têm apostado neste conceito, que tem sido ainda mais difundido ao longo dos últimos anos.

A proposta é oferecer conteúdos sobre temas diversos, de física quântica à história da arte, ministrados por professores de renome pela internet. A sua vantagem é que, como não há limitação de um espaço físico, milhares de pessoas de diversos países podem participar das aulas ao mesmo tempo.

Uma outra vantagem é que os alunos podem acessar os conteúdos disponibilizados na hora em que quiserem. Para que isso seja possível ferramentas como o Coursera compilam centenas destes cursos espalhados pelas principais instituições de ensino do mundo e oferecem tudo em um só lugar.

Mobilidade

Estamos na era da Mobilidade!

A nossa vida está cada dia mais na palma de nossa mão. Aplicativos que rodam direto da nuvem, não precisam de mais que uma conexão à internet para funcionar, e foram desenhados pensando na mobilidade que poderiam proporcionar aos usuários.

Alunos e professores conseguem obter acesso ao conteúdo fundamental para o desenvolvimento de suas atividades a partir de qualquer dispositivo, e a informação fica disponível, simultaneamente, em múltiplas interfaces e sistemas operacionais.

Uma grande vantagem para alunos e professores são os aplicativos que rodam offline e permitem que os dados sejam sincronizados automaticamente no momento em que uma conexão com a Internet seja disponibilizada. Mesmo sem internet os alunos podem acessar todo o material das aulas, agenda acadêmica, comunicados, desempenho e frequência. Professores podem registrar a frequência, lançar anotações no diário de classe, digitar as notas de provas, tudo com sustentabilidade, sem a necessidade de preencher papeletas ou livros de classe, depois é só sincronizar as informações atualizadas.

Enfim, não dá para ficar sem se valer da tecnologia no campo educacional, não é mesmo? Para que resistir às novas tecnologias se o mundo todo segue em sentido contrário, se abrindo cada vez mais para as inovações?

Siga-nos  nas redes sociais e continue recebendo mais dicas preciosas sobre ensino e aprendizagem e acompanhe as novidades nesse campo que cresce e ganha cada vez mais espaço nas IE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *