Passo a passo: saiba como migrar a sua IE para a nuvem!

Passo a passo: saiba como migrar a sua IE para a nuvem!

Cada vez mais a tecnologia tem tomado conta dos novos modelos de ensino e servido de apoio para que as instituições criem novas estratégias. Por outro lado, o aumento da presença da tecnologia nas instituições de ensino cria uma sobrecarga no ambiente de TI. É por isso que seus gestores devem pensar cada vez mais em rever seus recursos tecnológicos e migrar para nuvem.

Já sabemos que cloud computing é uma tendência que tem virado realidade. Nesse sentido migrar para nuvem é apenas questão de tempo para as empresas que ainda não tomaram essa iniciativa.

Essa troca de ambiente, de local para nuvem, é importante porque garante uma série de vantagens para o negócio. Ela reduz a necessidade de gestão da infraestrutura de TI e permite que os gestores de uma Instituição de Ensino pensem na tecnologia da informação apenas no seu âmbito estratégico.

Ao decidir que está na hora de migrar para a nuvem, é preciso tomar alguns cuidados para que o novo ambiente atenda a todos os requisitos do negócio. Ele deve suportar a continuidade dos serviços e garantir todas as vantagens oferecidas pela tecnologia de cloud computing.

Dessa forma, no post de hoje vamos descrever os principais passos que não podem faltar na migração da infraestrutura de TI de uma Instituição de Ensino para nuvem. Confira!

Faça um planejamento para a mudança

A migração de um ambiente de TI para nuvem deve ser tratada como um projeto, com um bom planejamento para garantir que suas etapas sejam cumpridas e seus objetivos sejam alcançados dentro do prazo e resultados esperados.

Ao desenvolver um projeto de migração, alguns aspectos fundamentais devem ser levados em consideração, como: quais serviços serão migrados em cada fase? Como será feita a migração? Quais os prazos a serem cumpridos? Como será validada a eficácia do projeto?

Avalie os modelos de nuvem e escolha a melhor opção

Essa avaliação faz parte do planejamento do projeto de migrar para nuvem, mas sua relevância merece destaque por ser um passo fundamental nesse processo.

Com a evolução das soluções de cloud computing, novas opções de hospedagem surgiram, cada qual com suas vantagens e desvantagens sobre as outras. Por isso, os gestores da Instituição de Ensino devem procurar se informar sobre cada modelo de comercialização, ponderar os prós e os contras e definir qual tecnologia pretendem utilizar.

Basicamente, os gestores devem optar entre três modelos:

  • SaaS (Software as a Service): tipo de tecnologia em que as ferramentas já estão prontas e disponíveis para uso.
  • PaaS (Platform as a Service): modelo em que a infraestrutura é disponibilizada com algumas soluções de desenvolvimento e a IE utiliza a plataforma para desenvolver suas soluções.
  • IaaS (Infraestructure as a Service): modelo em que a Instituição de Ensino utiliza a infraestrutura de um Datacenter de terceiros, mas fica responsável por toda a configuração e manutenção do ambiente.

Além dessas opções, os gestores também podem escolher modelos de nuvem pública, utilizando ambientes de terceiros; e nuvem privada, com soluções comuns de cloud computing, como virtualização, mas ainda em seu próprio Datacenter. Há também a opção de nuvem híbrida, integrando seu próprio ambiente com a nuvem pública.

Tenha cuidados com a segurança

Quando se fala em computação em nuvem, a segurança da informação ainda é um dos pontos que geram maiores dúvida e receios.

A verdade é que os ambientes de cloud computing tendem a ser muito mais seguros do que um ambiente local, pois normalmente estão hospedados em datacenters que possuem diversos recursos de segurança e são gerenciados por profissionais especializados na área.

De qualquer forma, alguns cuidados devem ser sempre tomados para garantir um ambiente seguro. É preciso utilizar de senhas fortes, controlar o acesso somente a pessoas autorizadas e escolher um datacenter de confiança.

Tenha um plano de governança

Ao migrar para a nuvem, a Instituição de Ensino passa boa parte da responsabilidade da gestão do ambiente de TI para terceiros. Ainda assim, ela deve se preocupar com questões relevantes sobre os serviços disponíveis, em especial aqueles que ficam sob sua administração.

Para gerenciar corretamente os serviços e garantir a disponibilidade e integração com o ambiente local, é preciso desenvolver um plano de governança de TI. De preferência, ele deve seguir as recomendações das melhores práticas do mercado, como os modelos recomendados pelos frameworks de TI ITIL e Cobit.

Nuvem + SaaS

Ao avaliar os modelos de computação em nuvem, outra recomendação é que a Instituição de Ensino avalie os serviços já disponíveis no modelo SaaS, reduzindo ainda mais sua necessidade de gestão do ambiente.

Ao migrar os dados de seu ERP, por exemplo, para um software pronto na nuvem, a empresa se preocupa apenas com a gestão do negócio. Todos os cuidados para manutenção da ferramenta ficam por conta do fornecedor.

Invista em um serviço especializado!

Já sabemos que a computação em nuvem garante uma série de benefícios, mas aqui estamos falando de recursos fundamentais para o funcionamento de uma Instituição de Ensino. Por isso, ao decidir migrar sua IE para nuvem, pesquise os melhores fornecedores e invista em um serviço especializado.

Certifique-se de escolher um parceiro confiável, com conhecimento e experiência que vão garantir, não só a segurança dos seus dados, mas a confiabilidade e disponibilidade dos serviços da sua Instituição de Ensino.

3 erros que a sua empresa não pode cometer na hora de migrar

Nem todo projeto de migração para a nuvem termina com sucesso e erros são comuns nesse processo. Por isso, ao migrar sua Instituição de Ensino para nuvem, fique atento aos seguintes pontos:

1. Tentar fazer por conta própria, sem envolver um especialista

Esse é um erro comum, que pode sair muito caro no final. Um especialista conhece todos os detalhes a serem abordados e vai garantir com muito mais assertividade o resultado final do processo.

2. Não ter uma infraestrutura de acesso preparada

Ao migrar para a nuvem, a Instituição de Ensino elimina a necessidade de vários recursos no seu ambiente de TI. Entretanto, precisa ter uma infraestrutura de acesso à internet que suporte todas as conexões simultâneas aos serviços na nuvem. Quando esse acesso não está preparado, o funcionamento dos serviços é prejudicado e seus usuários ficam frustrados.

3. Não testar e validar antes todos os serviços migrados

Nem todos os serviços precisam ou podem ser utilizados em nuvem. Por isso, antes de mudar, é preciso testar e validar todos os requisitos de desempenho e funcionalidades.

Migrar para a nuvem garante muitas vantagens para uma Instituição de Ensino. Ao seguir esses passos, sua empresa vai minimizar o risco de falhas, reduzindo o tempo do projeto e aumentando as suas chances de sucesso. Agora, aproveite para deixar seus comentários e sugestões abaixo!

Open modal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *